#16 – Dolores, de Adélia Prado

6 12 2009

Dolores

Hoje me deu tristeza,

sofri três tipos de medo

acrescido do fato irreversível:

não sou mais jovem.

Discuti política, feminismo,

a pertinência da reforma penal,

mas ao fim dos assuntos

tirava do bolso meu caquinho de espelho

e enchia os olhos de lágrimas:

não sou mais jovem.

As ciências não me deram socorro,

não tenho por definitivo consolo

o respeito dos moços.

Fui no Livro Sagrado

buscar perdão pra minha carne soberba

e lá estava escrito:

“Foi pela fé que também Sara, apesar da idade avançada,

se tornou capaz de ter uma descendência…”

Se alguém me fixasse, insisti ainda,

num quadro, numa poesia…

e fossem objetos de beleza os meus músculos frouxos…

Mas não quero. Exijo a sorte comum das mulheres nos tanques,

das que jamais verão seu nome impresso e no entanto

sustentam os pilares do mundo, porque mesmo viúvas dignas

não recusam casamento, antes acham sexo agradável,

condição para a normal alegria de amarrar uma tira no cabelo

e varrer a casa de manhã.

Uma tal esperança imploro a Deus.

__________________________

Dolores

Today I was struck by sadness,

I suffered from three kinds of fear

added to the irreversible fact:

I’m not young anymore.

I have discussed politics, feminism

the relevance of the penal reformation,

but at the end of the subjects

I used to withdraw my mirror potsherd from my pocket

and then had eyes flooded by tears

I’m not young anymore.

The sciences didn’t provide me any help,

I have no definitive consolation

the respect of young men.

I turned to the Scripture

in search of forgiveness to my superb flesh

and it was written there:

“It was for faith that also Sara, despite of her old age,

became able to have descendants…”

If someone, by any chance, pictured me, I insisted,

in a painting, in a poem…

and my slack muscles were objects of beauty…

But I don’t want it. I demand the common luck of the women towards the sinks

who will never see their names printed and, however,

support the world’s pillars because even being decent widows

they never say no to marriage. Contrariwise, they find sex pleasant,

condition to the normal happiness of wearing the hair with a strip

and broom the house they’re going to live in tomorrow.

Such hope I beg God.

Versão em inglês por Wagner Miranda

Dolores

Adélia Prado

Hoje me deu tristeza,
sofri três tipos de medo
acrescido do fato irreversível:
não sou mais jovem.
Discuti política, feminismo,
a pertinência da reforma penal,
mas ao fim dos assuntos
tirava do bolso meu caquinho de espelho
e enchia os olhos de lágrimas:
não sou mais jovem.
As ciências não me deram socorro,
não tenho por definitivo consolo
o respeito dos moços.
Fui no Livro Sagrado
buscar perdão pra minha carne soberba
e lá estava escrito:
“Foi pela fé que também Sara, apesar da idade avançada,
se tornou capaz de ter uma descendência…”
Se alguém me fixasse, insisti ainda,
num quadro, numa poesia…
e fossem objetos de beleza os meus músculos frouxos…
Mas não quero. Exijo a sorte comum das mulheres nos tanques,
das que jamais verão seu nome impresso e no entanto
sustentam os pilares do mundo, porque mesmo viúvas dignas
não recusam casamento, antes acham sexo agradável,
condição para a normal alegria de amarrar uma tira no cabelo
e varrer a casa de manhã.

Uma tal esperança imploro a Deus.

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: